quarta-feira, 10 de julho de 2013

Do diário de um passarinho

 Esta historinha é da princesinha Ianie David Céo.



O meu nome é Cã-te-vi. Minha mamãe foi canarinha; meu papai, bem-te-vi.
   Aprendi a voar e a escrever com Vovó Coruja. É que meus pais morreram envenenados numa roça quando eu era petitito. Eu sei também falar, cantar, sonhar e sentir saudade como qualquer passarinho ou criança.
    Escrevo meu diário em passaredo, a nossa língua que as crianças entendem, num pé de Amor-da-folha-grande, onde eu moro. É que a folha desse pé de Amor não cai, e nada, nem o tempo, desmancha o meu escrito.
    Bom, já que toquei em saudade, falarei de uma que bate com meu coração.
   Tudo começou quando Vovó Coruja nos avisou da festa de São João das Crianças no ranchinho de Vó Isaura, aqui perto. Então eu ó, pac-pac-pac, bati o bico de achar bom, e fui-me lavar na Cachoeira das Borboletas.
    Passei a cortina de água pra lá e pra cá, e isso me deixou mais limpinho que os raios do Sol, e voei para o ranchinho de Vó Isaura. Lá eu fiquei num pé de amora, à espera da Dança das Quadrilhas. Mas eu nem quis saber da Dança... É que Vó Isaura anunciou: “Crianças, a Princesinha Ianie está chegando!”.
    Oba! Princesinha?!, eu disse, me arrumando no galho da amora. Cocei o bico e a cabeça porque nunca tinha visto uma princesa. Ouvia Vovó Coruja contar historinhas delas, mas ver uma princesa de pertinho... Nem sei se dou conta de ver, pensei comigo.
   Fiquei ansioso, trocando os pés no galho, me coçando debaixo das asas e repetindo: será que ela é linda, como nas historinhas da Vovó? Daí eu comecei a sonhar: eu no ombro dela, e ela dançando a Quadrilha. Nó! Que lindo!
    Acontece que, de tanto sonhar, me veio uma zonzeira e eu ó... Praft, caí do galho. Caído, e com as vistas embaçadas, ouvi um menino gritar: “Um passarinho caiu ali!”. Daí, com eles em cima de mim, ouvi outro: “Vamos tirar as peninhas dele?”.
   Em  seguida, acho que  fui  ao Céu dos Passarinhos ao ouvir a linda  Princesinha dizer: “Epa! Esse passarinho é meu! Ele é meu e pronto!”. Então, ela me beijou e pediu a São Chiquim de Assis por mim. E que São Chiquim me ajudou, eu quis voar, ou fingi querer; mas ela me segurou e me pôs no seu ombro para dançar a Quadrilha. Ô que bom!
    Ai, ai! Acontece que cair do galho, estar colado no rosto dela e me segurar no seu ombro, tudo isso foi sonho. Vi que sonhava porque Vovó Coruja chegou e disse: “Ei Cã-te-vi, tá sonhando, passarinho? Vamos embora pra casa que a festa já acabou...”.
    Vim-me embora, mas não dormi. Fiquei pensando na Princesinha... Pensando ser seu passarinho, como ela disse no meu sonho. E até que chegue o próximo São João das Crianças, no ranchinho de Vó Isaura, vou vivendo como diz o seresteiro Rouxinol: “A gente é feito de saudade e esperança”.





30 comentários:

  1. Belo conto meu amigo, como sempre, parabéns! Abraço, lu.

    ResponderExcluir
  2. Cada criação mais bela que a outra. Este é o meu amigo Márcio Buriti!

    ResponderExcluir
  3. Márcio , ficou muito linda a sua estória uma delícia de ler. Tenho certeza que a princesinha Ianie irá adorar que vc tenha feito estária para homenageá-la.
    Lucimar

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Márcio, ficou um encanto eu gostei muito, adoro suas histórias smepre muito bem narradas com desfechos maravilhosos, forte abraço.
    Maria Mendes

    ResponderExcluir
  5. Linda estória...bom repetindo uma frase linda desse testo encantador:
    "A gente é feito de saudade e esperança."
    Muita saudade dos Senhor tio. um beijo meu lindo.
    Lucélia Lemes

    ResponderExcluir
  6. Temos saudade do sonho que não virou realidade, porque nos encantamos com a ilusão. Sempre cheios de magia os seus contos. Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Trem mais lindo esse conto! Emoção do início ao fim. Parabéns! Abraços aqui da Canastra.

    ResponderExcluir
  8. Esse idioma passaredo, tão doce e puro quanto as crianças e que você com tanta sensibilidade e sabedoria, mais que arte, tem o dom de traduzir ao adulto que ainda brinca de criança dentro de cada um de nós, e a cada pessoa que, de esperança em esperança vai se pondo no alto da árvore dos sonhos para viver o encantamento de tantas coisas que nem chegam a se tornar realidade!E diante da magia de sua prosa poética, nosso coração vai-se tornando um frondoso "pé de Amor-da-folha-grande" cujas folhas de Amor não caem, e nada, nem o tempo apaga o que com o seu coração, Márcio, nele foi escrito.
    Grande abraço, sempre recheado de encantamento.

    ResponderExcluir
  9. Simplesmente encantadora historinha! Beijos&Sorrisos

    ResponderExcluir
  10. Boa noite, Marcio! Um passarinho que caiu do galho e foi direto pra os ombros de uma princesa... um passarinho que fala passaredo. Uma princesa que pede proteção para o passarinho à São Chiquim. Que coisa delicada, bonita de se ler! Valeu a pena , sempre vale.

    ResponderExcluir
  11. Beleza pura. Um passarinho romântico, delicado e sonhador....Conceição Gomes.

    ResponderExcluir
  12. Se até passarinho é sonhador, porque não nós? Você cria um mundo de sonho e fantasia que nos remete à infância. Obrigada, Márcio

    ResponderExcluir
  13. Passarinho sonhando com a princesa, deixando seu sentimento florescer em um galho de árvore é semelhante ao adolescente que sonha de olhos abertos com seu mundo fantasioso, tão cheio de projetos utópicos.
    Excelente personificação nas passagens de seu texto.
    A gente é feita de saudade, de esperança e emoção.
    Estou emocionada por ler mais uma obra prima sua.

    ResponderExcluir
  14. Entre nostalgias e esperanças vamos vivendo o fluxo da vida e o passarinho nos exempla deixando os sonhos felizes acontecerem e se imortalizarem em suas lembranças mais queridas. Parabéns por mais esta preciosidade, caro Marcio. Grande abraço, amigo.

    ResponderExcluir
  15. Um espetáculo de historinha! Coisinha mais linda é o Can-te-vi, a sua pureza e a de todos. Beleza mesmo, Márcio. Abraço.

    Gisele Andrade

    ResponderExcluir
  16. Um lindo texto, cheio de ternura.

    Ana Cabral

    ResponderExcluir
  17. Un hermoso texto, Marcio. Eres muy buen escritor. Beso, beso.


    Maria de Los Angeles

    ResponderExcluir
  18. Maravilha de texto! Beeijo, Márcio.


    Ana Augusta Rodrigues

    ResponderExcluir
  19. Uma beleza de texto! Adorei o Cantevi. Abraço,


    Daniela Prado

    ResponderExcluir
  20. Belíssimo conto! Muita luz e paz. Um bom feriado. Abs

    ResponderExcluir
  21. Um texto mágico!


    Suely Almeida

    ResponderExcluir
  22. Esta linda historinha é da menina e de todos nós adultos. É de toda idade, de tão linda. Parabéns, Márcio, encantador de palavras...

    Paulianna M. Tavares

    ResponderExcluir
  23. Um espetáculo de historinha. Delícia de leitura, Márcio. Bjo!


    Isa Morins

    ResponderExcluir
  24. Muito bonita historinha. É de compartilhar na escola. Abraço, MarcioBuriti.

    PaulinhaAbreu

    ResponderExcluir
  25. Hola Márcio, ahora estoy en Caseros. Ven aquí, quiero conocer esta hermosa escritor. Beso, Salle.

    ResponderExcluir
  26. Que maravilha, Márcio!
    Beijo, obrigada.


    Régia Oliveira

    ResponderExcluir
  27. Espetáculo puro!

    Igor Paraná

    ResponderExcluir
  28. Que historinha mais pura, Marcio Buriti! O encanto prevalece desde o início do conto. Sensacional. Abraço,

    Rodrigo de Freitas

    ResponderExcluir

Que bom receber seu comentário! Ele será publicado. Obrigado!